Título que seduz e desperta curiosidade

A maioria dos comunicadores e escritores sabe a importância que um bom título tem. Ele é o responsável por chamar atenção do leitor, que à primeira vista, pode decidir se vai ler ou não uma publicação. O título ou chamada comunica e chama a atenção, independentemente do conteúdo de seu texto, por isso ele deve ser de impacto e despertar a curiosidade.

Para se ter uma noção da importância de um bom título podemos citar um estudo que diz que livros com conteúdo idêntico, mas com títulos diferentes, terão vendas distintas. O momento em que o leitor passa os olhos nas páginas de um jornal cheio de matérias, ou mesmo, até em uma prateleira cheia de livros, a primeira impressão será causada pelo título que essas publicações carrega.

É claro que o conteúdo irá determinar a leitura completa de um texto ou livro, porém a atenção do leitor, um dos grandes desafios de quem escreve diante da competição de inúmeras publicações nos dias de hoje, já foi captada, confirmando que o título funciona como um estímulo à leitura. Porém, titular não é uma das tarefas mais fáceis que existem, pois exige sabedoria, paciência e técnicas da escrita. Em outras palavras, titular é uma arte!

Existem vários tipos de títulos diferentes, além de várias técnicas que podem ser empregadas dependendo do texto e da atenção que deseja chamar. São eles: títulos interrogativos com ponto de interrogação ao final, títulos que sensibilizam o leitor e estão normalmente ligados à tragédias, títulos metafóricos, títulos exclamativos exprimindo emoções, títulos com aspas, que são usados para delimitar citações ou realçar uma expressão, entre outros.

Visto isso, podemos concluir que o título é de extrema importância para a escrita, seja ela impressa ou eletrônica. Em média, 8 em 10 pessoas leem o título, mas apenas 2 acabam por ler o artigo ou texto por completo. Só com isso já dá para perceber a força e o peso de cada título. Desta forma, se quiser fazer com que seu conteúdo tenha sucesso, capriche no título e o mesmo deve ser claro, específico, curto e, é claro, poderoso

22 janeiro 2017