Smartphones fazem parte da teia de mudanças nas relações sociais

As relações sociais já mudaram muito à medida que novas tecnologias foram sendo desenvolvidas. O ápice tecnológico no qual nos encontramos fez com que os celulares smartphones se tornassem extensões do nosso corpo. A febre do uso desses aparelhos dispositivos móveis predomina nas reuniões entre amigos, bate-papo na hora do cafezinho e, até mesmo, em encontros entre namorados, que supostamente deveriam ser mais íntimos do que são. Será que esse novo amigo/intruso chamado smartphone nos traz mais benefícios e vantagens no dia a dia? Será que seu uso exacerbado pode causar efeitos negativos nos relacionamentos?

Estar conectado a todo o momento. Esse é o lema de muitas pessoas, em sua maioria jovens, nos dias de hoje. Para alguns acaba se tornando habitual olhar de minuto à minuto a tela do celular para ver se chegou alguma mensagem, ou mesmo para dar uma “espiadinha” nas redes sociais como o Facebook e o Instagram, esse último, inclusive, foi desenvolvido exclusivamente para seu uso em smartphones.

O fato é que, mesmo com a utilização incontida do celular por algumas pessoas, esse novo meio de comunicação já faz parte de nossas vidas e mudou a maneira de nos relacionarmos. Entre as vantagens podemos citar o mundo à apenas um clique de distância, dentro do seu próprio bolso, aonde e como bem desejar, pois assim como os computadores e tablets, com o crescimento e fortalecimento da rede 3G, a Internet é pré-requisito básico para quem tem um smartphone e ela permite esse acesso rápido e irrestrito às informações.

Porém, o uso ininterrupto dos dispositivos móveis pode sim trazer desvantagens desagradáveis aos seus usuários e já existe até um termo utilizado para quem pratica esse ato: phubbing. Essa palavra, em inglês, veio da união entre phone (telefone) e snubbing (esnobar), ou seja, quem comete phubbing está esnobando e ignorando um amigo, colega de trabalho, parente, marido, etc. Isso pode ter um resultado muito negativo nos relacionamentos sociais, além de ser um ato muito irritante para quem não comete esse ato, que quase chega a ser um crime contra as boas conversas, risadas e bate papos.

Reza a lenda que indo ao contrário da maioria dos estabelecimentos comerciais, que utilizam da Internet Wi-Fi,como chamariz de clientes, assim como alguns fazem no Rio de Janeiro com o ar-condicionado, um restaurante resolveu pregar uma placa na entrada com os dizeres: “Não temos Wi-Fi, por isso, conversem entre si”! Pode até parecer piada, mas no mundo atual, cômico mesmo é você marcar um encontro com um amigo de longa data, que não vê há anos, e após 5 minutos de conversa colar os olhos no celular. Na realidade, a máxima “seria cômico se não fosse trágico”, ganha sua melhor forma nesse cenário em que lidar com pessoas no mundo offline se tornou mais difícil do que na esfera cibernética.

3 outubro 2017