Será que me faço entender? Como anda a sua comunicação?

Quantas vezes já ouvimos aquela famosa frase: “sou responsável pelo o que eu falo e não pelo o que você entende”? Mas será mesmo que é assim? Em plena era da informação possuímos ainda muitas dificuldades de nos comunicarmos uns com os outros, mas porque será? Como, então, nos fazer entender pelo próximo? Respostas para essas perguntas complexas não são tão fáceis de serem encontradas, mas a mudança em algumas atitudes, em nosso dia a dia, pode contribuir para a melhora da comunicação.

Quatro elementos formam a comunicação: emissor, mensagem, canal e receptor. Quando não existe nenhum ruído no caminho desses quatro passos a comunicação eficaz é realizada, mas é aí onde mora o perigo, pois são os ruídos, uma série de fatores que interferem e bloqueiam a clareza da mensagem, que provocam as falhas na comunicação.

Para tentar terminar com esses bloqueadores das mensagens que desejamos transmitir, é necessário nos expressar com clareza e coerência e isso implica em ser objetivo. Nas culturas latinas, temos o hábito de primeiro argumentar para só depois dizer o que realmente importa, mas isso pode atrapalhar o entendimento do outro, pois perdemos muito tempo com o prefácio, ao invés de irmos direto para o desfecho.

É claro que, algo cultural assim não é transformado de um dia para o outro, mas no momento em que estamos conversando com alguém podemos ficar em alerta, para que, caso isso ocorra, possamos nos remir e, com o tempo, melhorar nossa explicação. A comunicação deve ser aprimorada dia a dia, em todos os diálogos que estabelecemos.

Quando conseguimos nos expressar de forma clara e objetiva, tanto no campo pessoal quanto no profissional, percebemos bons resultados rapidamente. O sucesso exige dedicação e persistência, então para isso, comece hoje mesmo a repensar o modo de falar e também de ouvir, para que a sua comunicação se estabeleça de forma completa e concisa.

20 dezembro 2017