“Pense antes de postar”

“Pense antes de postar”

Novidade para muitos, mas presente em 55 países (incluindo o Brasil) desde 2003, por iniciativa da Comissão Européia juntamente com o programa Safer Internet Plus, o Dia da Internet Segura (Safer Internet Day) é comemorado hoje, 09 de fevereiro. O objetivo da mobilização anual, cujo tema central deste ano é “Pense antes de postar”, é orientar os internautas sobre o uso seguro e ético da web, através da difusão de informações, recursos e guias de boas práticas.

Este ano, a organização da campanha, no Brasil, fica por conta do SaferNet Brasil, do Ministério Público Federal em São Paulo e do Comitê Gestor da Internet, em parceria com diversas instituições, tais como: Microsoft Brasil, Google Brasil, MySpace, TV Globo, Canal Futura, Secretaria Especial dos Direitos Humanos, Polícia Federal, dentre outras, que devem desenvolver atividades de prevenção, campanhas de conscientização na mídia, seminários com pesquisadores, provedores, pais e jovens, coletiva de imprensa, gincana em escolas e chats com especialistas, bem como desenvolver atividades que acontecerão ao longo do ano. Os interessados em participar e divulgar a ação devem se inscrever no site www.diadainternetsegura.org.br .

Desde que a redes sociais se popularizaram o que não faltam são casos de pessoas que foram demitidas ou que sofreram algum tipo de sanção, como ações na Justiça por dano moral, por espalharem ofensas e difamações sobre o chefe ou um colega de trabalho e até mesmo por falar mal do emprego. O contrário também acontece, quando empresas divulgam “listas negras” de ex-funcionários, fornecendo informações depreciativas sobre eles.

De acordo com o advogado trabalhista Daniel Garcia Japor, que tem recebido cada vez mais ações desta natureza, este é um ramo do direito dos novos tempos. “São cada vez mais freqüentes casos de pessoas reivindicando retratação por se sentirem lesadas por difamação na internet. No Brasil, ainda não há uma legislação específica e a reparação se dá através de ação punitivo-pedagógica, numa ação que pode levar de seis meses a cinco anos na Justiça do Trabalho”.

Aproveitando a deixa do “Pense antes de postar”, tenha cuidado ao publicar em blogs e redes sociais informações que possam prejudicar outras pessoas, pois no final das contas o maior prejudicado pode ser você!

12 novembro 2017