Marketing: o que você precisa saber sobre comunidades digitais

Marketing: o que você precisa saber sobre comunidades digitais

O conceito de comunidade é bem amplo, associado geralmente a um grupo de pessoas com algo em comum. Seja uma comunidade geográfica, de fãs do mesmo artista, de leitores de um blog, todos estamos inseridos em alguma, e geralmente em várias. Na internet, essas comunidades começaram a se manifestar lá atrás, quando percebemos seu caráter de unir pessoas. Vimos o boom das redes sociais e separações em grupos de interesse, sejam nas antigas comunidades do Orkut ou nos grupos do Facebook. Hoje, o conceito de comunidade tem se tornado cada vez mais importante para marcas e empresas, e daí surge o Marketing de Comunidade.

O que é Marketing de Comunidade

O Marketing de Comunidade surge para estreitar os laços e a comunicação entre a marca e seus consumidores, bem como uma ferramenta para identificar posicionamentos, necessidades e tendências desse público. Quando falamos de uma comunidade digital, mais do que simplesmente alguma característica em comum, é preciso um senso de pertencimento e identificação. Para isso, o Marketing de Comunidades tem que contar com o alinhamento dos membros, alinhamento da empresa e o posicionamento. É necessário compreender as crenças e motivações do seu público alvo, para se formar uma comunidade sólida e em que haja uma relação de confiança.

A importância das Comunidades Digitais

Já sabemos que o que conta no mundo online hoje é o engajamento. E o mais importante das comunidades digitais é que elas entregam exatamente isso: relacionamento. Através delas, podemos gerar uma conversa, pertencimento, conexão mesmo. Tomemos a comunidade de fãs da Marvel, por exemplo. Estão sempre gerando diálogo nas redes sociais, engajando, fortalecendo e potencializando a presença da marca. Claro que esse é um exemplo de nível macro, mas é possível estabelecermos uma comunidade digital em uma escala menor.

Como construir Comunidades Digitais

1. Público

O primeiro passo é entender o seu público, para que seja feito o alinhamento mencionado mais acima. Entendendo que tipo de pessoa você quer atrair para essa comunidade, qual sua personalidade, paixões e medos em comum. Parece um pouco abstrato, mas é só refletir um pouco. Se tenho uma papelaria, posso querer construir uma comunidade de apaixonados pela organização e produtividade.

2. Canal

É preciso decidir também qual canal conectará a comunidade. Perfil do Instagram, grupo no Telegram, grupo no Facebook? Um case de comunidade recente é o da Elle Brasil, que em maio deste ano retomou a produção da revista e abriu um grupo no Facebook onde interagem os consumidores e jornalistas. Lá, discutem pautas, temas relevantes para a comunidade, expõem suas necessidades, tudo com base na paixão em comum, que é a moda.

O importante é que as comunidades digitais passam a ter um poder muito grande sobre a sua marca e seu desenvolvimento. A palavra-chave é colaboração!

21 outubro 2020