Ler ou ver? Eis a questão!

Agilidade e velocidade são as palavras de ordem do XXI. Com os avanços gradativos da tecnologia de informação, nos colocamos em constante movimento no objetivo de caminharmos lado a lado com o progresso. Contudo, todo esse furor que, sobretudo, a internet, trouxe para os tempos modernos, acabou provocando uma transformação nas formas como a sociedade detém informações na rede virtual e, pode se dizer, que o habitual da internet não é mais a leitura de textos, mas a visualização de vídeos.

Essa drástica mudança, vem ocorrendo porque o padrão de leitura que a internet oferece hoje para as pessoas é bem diferente do modelo com o qual estávamos habituados. Na rede, é possível acompanhar notícias, quase que em tempo real, enquanto que com os jornais impressos, era e ainda é, necessário aguardar o dia seguinte para se obter a mesma informação. Isso sem falar que, mesmo com a facilidade e rapidez da internet, a grande maioria das pessoas que a acessam, não tem tempo e nem paciência para ler textos demasiadamente longos, e por conta desse empecilho, a opção por vídeos se tornou quase que automática.

E, sabendo dessa nova tendência da população, muitas empresas começaram a investir em vídeos notícias em suas páginas institucionais ou em clipes nos sites de vídeos como o Youtube, ao invés de simplesmente publicarem informações em formas de textos. Na era da ‘rapidez em primeiro lugar’, os vídeos se tornaram ferramentas essenciais nesse processo de divulgação de conhecimentos e informações e, grande parte das organizações já entendeu e adotou essa “moda”, que parece que veio para ficar.

Hoje, a web está se tornando uma mini TV, que só não expande mais, porque não tem adeptos o suficiente para que ela possa tomar lugar da tradicional televisão. Entretanto, em um futuro próximo, existe uma grande perspectiva, de que a web, se torne em algo maior do que a própria escrita, e que ao invés de textos, a maioria das páginas contenha apenas vídeos. No entanto, isso é ainda um risco eminente, principalmente por que a palavra escrita ainda consegue ter mais força do que qualquer outro recurso. Sendo assim, aquela pergunta do título ainda fica pairando: ler ou ver? Eis a questão!

10 janeiro 2017