Já fiz minha parte, enviei um e-mail. Será?

O e-mail é uma ferramenta de muita utilidade, além de servir como arma estratégica para várias ações de marketing. Hoje, é praticamente impossível utilizar a internet e redes sociais ou até mesmo trabalhar, sem ter um endereço eletrônico. Existem diferentes tipos de email para cumprir distintos objetivos de negócio, mas será que apenas enviar uma mensagem, através do correio eletrônico, é o suficiente para atingir as metas?

O importante é saber, assim como toda e em qualquer comunicação, qual é o público alvo, para então formatar a mensagem. Isso significa que, clientes diferentes necessitam de e-mails diferentes, principalmente no que diz respeito ao alcance dessa mensagem e, sobretudo, se ela será lida ou não. Por isso, antes de sair mandando e-mails à esmo, é importante estudar suas diferentes formas.

Entre os tipos mais utilizados de e-mails estão o e-mail marketing e os promocionais. O primeiro, também conhecido como newsletter, geralmente é composto por indicações de artigos e novidades da empresa e é uma ótima maneira de fomentar o relacionamento de uma forma leve. Reforça a marca e também impulsiona leitores para outros canais da empresa, como o site, Facebook, Twitter, entre outros. Mas, é preciso cuidado ao enviar com muita frequência este tipo de mensagem, pois os leitores podem enjoar.

Já os e-mails promocionais são aqueles velhos conhecidos, alguns vão até direto para a caixa de spams, pois a maioria das pessoas deixa claro que não gosta de receber esse tipo de mensagem. Porém, ele funciona bem quando a pessoa que o recebe de certa forma já “espera” por ele. Ou seja, aquela pessoa que se cadastrou em seu site para, justamente, receber alertas de produtos em promoção ou alguém que já comprou em uma loja e, por consequência, acaba recebendo outras novidades na caixa de entrada.

Em ambos os casos, o importante, como já citado no texto, é conhecer o público para o qual a mensagem está sendo direcionada, pois caso contrário, a chance do e-mail ir direto para a lixeira é grande. Após o envio, é preciso também tentar receber algum feedback, que pode orientar qual melhor caminho a seguir. Lembrando que, comunicação é interação, por isso, apenas enviar um e-mail e deixar pra lá nunca será uma estratégia certeira no mundo das relações pessoais.

25 dezembro 2017