Evolução tecnológica dos computadores cresce no mesmo ritmo dos vírus na Internet

A história da Rede Mundial de Computadores, a Internet, tem início nos anos 1960, em plena Guerra Fria, por isso seu uso era restrito à militares dos Estados Unidos, que utilizavam dessa ferramenta com o objetivo de troca e compartilhamento de informações. Na década seguinte, o governo americano permitiu que pesquisadores desenvolvessem novos estudos para o uso da Internet e a mesma foi difundida entre alunos e professores universitários.

Foi somente no início de 1990 que a Internet começou a se popularizar e a partir desse momento a web cresceu em ritmo vertiginoso, se expandindo, ao longo da década, pelo mundo. O surgimento acelerado de provedores de acesso e portais de serviços online contribuiu para este crescimento fazendo com que a Internet fosse utilizada por diferentes segmentos e grupos em busca de todo o tipo de informação e pesquisa.

Quanto mais o tempo passou, mais modernos e desenvolvidos foram ficando os computadores e os programas, mas na mesma velocidade em que a Internet cresceu, vírus capazes de destruir todos os arquivos armazenados em um computador foram surgindo. Os vírus são criados por programadores, mais conhecidos como Hackers, e tal como um vírus biológico, se espalha para outros computadores.

O primeiro vírus a se tornar famoso e aparecer na mídia foi o chamado “Michelangelo” – programado para gravar partes das unidades de disco rígido, criando pastas e arquivos com conteúdos falsos em 6 de março, dia do nascimento do artista renascentista. Tão famoso ficou Michelangelo, que o mesmo foi protagonista da primeira matéria sobre vírus feita no Brasil, exibida pela TV Cultura, em 1990.

O curioso é se compararmos aos dias de hoje, a Internet no início de sua popularização era completamente diferente. Na matéria podemos notar que o uso da web era diferente, assim como sua linguagem e também seus vírus. Na época, existiam apenas 1.200 tipos diferentes de vírus, enquanto que hoje esse número é incontável, assim como as estrelas do céu, pois a cada dia surgem novos.

A alternativa para que o vírus não infectasse o computador, apresentada pelo consultor de sistemas entrevistado na reportagem, era simplesmente não usar o micro no dia do aniversário de Michelangelo. Isso, nos dias de hoje, além de ser considerado como uma piada, se realmente acontecesse, inúmeros prejuízos aconteceriam por todo o mundo, atingindo milhares de profissionais que utilizam o computador como principal instrumento de trabalho, pois estar conectado à rede mundial é de extrema importância.

O Michelangelo já não existe mais e sumiu do mapa há tempos. Ninguém sabe ao certo quem foi seu criador, mas sua ameaça comparada aos vírus existentes hoje não era nada. A Internet realmente é uma das revoluções tecnológicas mais surpreendentes da história da humanidade, pois trouxe inúmeras facilidades para a população mundial. Sua utilização foi mudando ao longo do tempo, mas como nem tudo são flores, algumas pessoas usam a Internet de forma a prejudicar outras e a existência dos vírus é uma prova concreta disso.

27 setembro 2017