Desmistificando a avaliação de desempenho

Uma ferramenta de gestão muito utilizada no mundo corporativo para analisar o desempenho do profissional é a “avaliação de desempenho”, que como a expressão mesma diz, tem como principal objetivo analisar o exercício do profissional em seu cargo, bem como o seu potencial de desenvolvimento, tanto técnico, quanto comportamental. Através dela, a empresa pode direcionar estratégias, identificar oportunidades de melhoria, descobrir talentos, enfim, ficar por dentro do que acontece dentro de cada setor da organização e a partir daí elaborar um novo plano de ação.

Em muitos casos, os colaboradores não reagem muito bem a esse tipo de pesquisa e o clima da organização acaba ficando pesado. Portanto, para que a ação seja realmente eficaz e proveitosa é necessária a adoção de um critério fundamental: alinhar os objetivos que se quer atingir com a missão, a visão e os valores da própria empresa. Se o capital humano é o bem mais valioso de uma companhia nada mais óbvio do que alinhar as expectativas da empresa ao que se busca nas pessoas que nela trabalha. Se o profissional não conhece a política da empresa, que deve ser disseminada através de campanhas de comunicação, dificilmente ele terá um desempenho positivo.

Mas como fazer isso sem gerar tensão nos colaboradores? Afinal, eles estarão sendo avaliados e isso pressupõe o aparecimento não só de pontos positivos, mas de negativos também, o que não agrada a ninguém. Primeiro, o processo deve ser desmistificado, sendo apresentado de forma bem objetiva, através de ações entre o setor de recursos humanos e a comunicação interna da empresa. É fundamental que os funcionários entendam que a avaliação de desempenho não é um processo punitivo, mas uma ferramenta que objetiva a melhoria da performance de cada um, o que pode aumentar as chances de ascensão na carreira e sua empregabilidade.

Instalado o processo, o passo seguinte é compilar as informações, identificar os pontos que merecem ser trabalhados e a partir daí montar um plano de desenvolvimento pessoal. Para isso, é fundamental que os líderes de equipes estejam envolvidos no processo do início ao fim, pois são eles que acompanham o dia-a-dia dos colaboradores.

19 novembro 2017