Como ter uma relação mais saudável com a tecnologia

Como ter uma relação mais saudável com a tecnologia

A internet vem ocupando um espaço cada vez maior na nossa vida. Em 2020, por exemplo, com a pandemia e recomendações de isolamento social, muita gente começou a trabalhar de casa através exclusivamente da internet. Além disso, a tecnologia avança a passos largos e hoje vemos o boom de assistentes pessoais (como a Alexa), casas inteligentes e a internet das coisas. Não há dúvidas sobre o quanto essas ferramentas são úteis e têm potencial para promover melhorias significativas nas nossas vidas, mas é igualmente verdade que devemos pensar sobre como manter uma relação saudável com elas.

Estudos comprovam a importância desse cuidado. Um relatório de Harvard mostrou que a luz emitida por nossos celulares pode impactar negativamente na qualidade do sono, especialmente 2-3 horas antes de dormir. Pesquisa da PLOS ONE mostrou que uso regular das redes sociais diminui a autoestima e aumenta a ansiedade, o que já foi corroborado por diversos estudos – e que talvez a maioria dos usuários dessas redes possa comprovar facilmente.. Só abrir o Instagram e ir direto no perfil daquela pessoa que o feed mostra uma vida Hollywoodiana e tudo é um mar de rosas. Se comparado à vida real, pode ser desanimador.

Mas como, efetivamente, fugir desses e outros tantos efeitos negativos?

A ideia é basicamente encontrar um balanço. Hoje, a maioria de nós não conseguiria viver sem essa tecnologia (principalmente em tempos de isolamento), a não ser que você seja um ermitão. Precisamos para o trabalho, educação, informação, vida social, lazer, compras… E não deveríamos querer viver sem essas ferramentas, pois trazem muita coisa positiva também.

Mas existem algumas práticas e exercícios que podemos aplicar para fazer dessa relação a mais saudável possível.

1. Cuidado com as notificações

As notificações fazem parte da estratégia das empresas tech para fazer com que você não fique muito tempo longe do celular. Quem viu O Dilema das Redes sabe bem disso! Mas a maioria dos aplicativos permite que a gente desligue essas notificações, que, pra falar a verdade, muitas vezes são inúteis. Na maior parte do tempo não é lá tão relevante saber que fulano postou um novo story, ou que tal tweet está fazendo sucesso, ou que tal loja está com desconto. E só de não termos essas notificações chamando a nossa atenção a cada dez minutos, podemos controlar melhor o uso do celular. Isso porque quase nunca é só abrir a notificação e fechar, quando se vê já passaram vinte minutos de tela num piscar de olhos.

2. Ser multitarefa pode ser contraprodutivo

É comum que, na tentativa de sermos produtivos, peguemos várias coisas para fazer ao mesmo tempo. Mas o que acaba acontecendo é que não conseguimos nos concentrar em nada e a qualidade do trabalho de forma geral cai. Inclusive, um estudo de Harvard mostrou que esse tipo de atenção dividida pode até te fazer menos feliz.

Mas, na internet, sabemos como é difícil focar em uma coisa só. Você está trabalhando em um projeto quando chega um e-mail sobre outra coisa importante, você responde e chega uma mensagem de alguém tentando resolver um problema, e o ciclo não acaba. Por isso é importante delimitar espaços de tempo para focar em atividades específicas, e só depois abrir o e-mail, checar aplicativos de conversa e começar outro projeto.

3. Controle melhor seus feeds

Como falamos acima, é fácil se sentir diminuído olhando perfis alheios. Isso porque nem tudo na internet é verdadeiro e só colocamos lá o que queremos que seja visto pelos outros. A pessoa que parece ter a vida perfeita não tem, porque ninguém tem.

Mas as redes não precisam ser um espaço que faça você se sentir mal. Você tem o direito de escolher quem quer acompanhar ou não. Não tem nenhuma obrigação de seguir conhecidos chatos, por exemplo. Por isso, é bem simples diminuir o nível de toxicidade da sua rede: comece a acompanhar somente o que te agrega valor de alguma forma. Seja contas que te ensinem algo e agreguem conhecimento, ou só publiquem mensagens positivas…

4. Desconectar é bom

O FOMO (Fear Of Missing Out, ou “medo de perder algo” em tradução livre) é real. Às vezes quando ficamos algumas horinhas sem internet sentimos que podemos estar perdendo milhares de coisas importantes, e quando nos conectamos vimos que não aconteceu absolutamente nada de especial. E se pararmos para pensar, na maioria dos dias em que estamos conectados também não acontece nada de especial.

Dito isso, é importante se lembrar de que você não precisa estar conectado todo o tempo. Tiramos (ou deveríamos tirar) folga dos estudos, do trabalho, da academia, por que sentimos que é OK ficarmos conectados todos os dias?

5. Seja parte da solução

Falamos de toxicidade nas redes, e é importante ressaltar que a solução começa com cada um. Ou seja, vale refletir sobre o seu próprio comportamento na internet. Está propagando notícias falsas, ajudando a promover ideias preconceituosas, espalhando ódio ou negatividade? Se queremos uma relação saudável, precisamos começar criando um ambiente sadio nós mesmos.
É um processo constante, mas que pode trazer muitos benefícios principalmente se pensarmos que essas tecnologias tendem a invadir mais e mais as nossas vidas. Aprender a lidar com elas da melhor forma é essencial.

 

Leia mais sobre Comunicação Não Violenta

Leia mais sobre Empatia

9 dezembro 2020