Como a internet e as redes sociais estão transformando as notícias

Sociedade cada vez mais conectada vê mídias sociais como fonte de informação, pesquisa e opinião


Estamos na era da informação e isso se comprova com o advento da Internet e das tecnologias que nos permitem, a um toque do celular ou do computador, nos conectar ao mundo e saber de notícias em tempo real. Hoje, não precisamos mais ter que esperar pelo noticiário à noite na televisão para descobrir o que está acontecendo ao nosso redor. Em poucos segundos de um acontecimento já sabemos dele e de seus desdobramentos através da web e das redes sociais.

Além de mudarem as relações humanas, a Internet, junto às redes sociais, vem trazendo uma grande transformação na sociedade contemporânea, conhecida agora como sociedade da informação. Essa nova realidade de acesso ao mundo digital vem influenciando o “modelo clássico” da comunicação: emissor > receptor, mudando a rotina de vários profissionais, inclusive os de comunicação, por causa da interatividade e rapidez. Hoje a comunicação pode ser feita de todos para todos.

Na era digital, não somos mais meros receptores de informação, mas também somos produtores de conteúdo. Os Blogs são exemplos disso, e hoje existem milhares deles espalhados pela rede, sobre os mais variados assuntos. Outro exemplo é o Youtube, local em que podemos compartilhar e armazenar vídeos. Lá também é possível encontrar gravações de todos os gêneros. O fato é que existe espaço na web para diversos fins e essa atmosfera virtual não para de crescer.

Já nas redes sociais, esses outros modos de produção de conteúdo encontram sua forma mais eficiente de divulgação. É lá que os vídeos e links diversos são compartilhados, comentados, curtidos e retwittados. Isso é o que chamamos de interação e essas redes passaram a ser um novo local de comunicação que serve como fonte de pesquisa, opinião e, é claro, notícias.

Muitos jornais tradicionais já utilizam das redes sociais para divulgar suas notícias e, muitas delas, acabam nascendo dessas próprias redes, tamanha sua força diante da sociedade. As mídias sociais já ultrapassaram, inclusive, muitos desses jornais com relação aos furos jornalísticos. Um dos furos mais importantes de todos os tempos foi a morte de Osama Bin Laden, que foi divulgada em primeira mão pelo twitter.

Na internet e nas redes sociais não contamos mais apenas com uma ou duas versões dos fatos, mas com várias outras que nos permitem julgar no que realmente acreditamos. Com isso, a manipulação da mídia vem de encontro com a democratização da comunicação, que parece estar se fazendo valer agora. Essa democratização acontece porque além de todos serem produtores de conteúdo, todos são testemunhas oculares dos acontecimentos.

Uma forma de democratização das informações é quando mais nenhum veículo de comunicação quer dar uma notícia, mas alguém com uma câmera na mão vai lá e faz. Essa é a premissa, por exemplo, da chamada Mídia Ninja (Narrativas Independentes, Jornalismo e Ação), que se popularizou através do Facebook, nas recentes manifestações de rua no Rio de Janeiro. Os participantes dessa mídia cobrem, com proximidade, os protestos nas ruas e divulgam pela internet. A ascensão desse novo tipo de mídia coloca em questão a tradicional imprensa brasileira e incentiva ainda mais a discussão da liberdade da comunicação.

A Mídia Ninja possui cerca de 150 mil seguidores em sua página no Facebook e vem chamando atenção, até dos mais conservadores, pelo resgate da reportagem de rua e proximidade dos fatos. Essa documentação da realidade pelos ninjas só foi possível por conta da tecnologia e das novas ferramentas de comunicação, pois as transmissões são feitas, geralmente, por dispositivos móveis.

O fato é que possuímos uma sociedade conectada e na era digital o modo de fazer e ter acesso às informações mudou. O jornalismo tradicional não morreu, mas seu papel é totalmente diferente se comparado há anos atrás, pois antes o jornalista era o único a difundir as informações, mas nos dias de hoje, com a web e redes sociais, a conjuntura se modificou. Separar, porém o joio do trigo, ainda é uma característica que pode confundir a sociedade da informação, que pode acabar ficando desinformada se não souber filtrar o turbilhão de notícias que recebe a cada instante.

16 agosto 2017